Página Inicial
  • Login
  • Esqueci a Senha
  • Lista de Compras
  • Notícias
  • Humor
  • Cadastro



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

VENDIDO A R$ 8 MIL, NOTE 20 ULTRA CUSTA UM TERÇO DESSE VALOR PARA SER PRODUZIDO

9/14/2020

Em agosto deste ano, a Samsung revelou o poderoso Galaxy Note 20 Ultra, um smartphone com potência de sobra equipado com um Snapdragon 865+ (ou Exynos 990, em alguns mercados), até 12 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento interno. As câmeras também são um show à parte, sendo este o aparelho perfeito para quem quer tirar fotos a nível praticamente profissional.

O único empecilho, obviamente, é o preço. Nos Estados Unidos, o modelo (em sua versão “intermediária” com 8 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno) não sai por menos de US$ 1,3 mil, representando um novo patamar nos valores cobrados por um smartphone. Já anunciado aqui no Brasil, o Note 20 Ultra tem preço oficial de R$ 8 mil por aqui.

O valor é salgado, mas pode até parecer justo se levarmos em conta as especificações técnicas do gadget. Contudo, uma empresa de análises revelou que o custo de produção do aparelho é cerca de um terço do valor cobrado pela gigante sul-coreana no Brasil.

Pesquisadores da Counterpoint dissecaram o aparelho para conferir o preço de atacado de todos os seus componentes, tudo para descobrir quanto a Samsung gasta para produzir uma unidade do Note 20. Pasmem: ela precisa desembolsar apenas US$ 468 — cerca de R$ 2.500 em conversão direta para a nossa moeda.

30% do valor final
Fazendo uma uma conta simples, isso faz com que o custo real de cada Note 20 Ultra para a Samsung seja em torno de 30% do valor final cobrado pela empresa aqui no Brasil. Isso sugere um faturamento de quase 70% sobre cada unidade vendida, certo? Bem, as coisas não são tão simples assim.

Os custos de venda de um celular envolvem vários outros fatores, como ações de marketing, processos de pesquisa e desenvolvimento (R&D), registros de patentes, logística e distribuição e assim por diante, fora que há ainda o lucro de todos os atores envolvidos no processo de distribuição e venda (no caso de vendas em lojas de terceiros) que também abocanham parte desse 70%.

Mesmo assim, temos que concordar: é um valor bem alto para um gadget que custa relativamente pouco para ser construído, não é mesmo?

 

Fonte: Tecnoblog

 

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar